domingo, 26 de setembro de 2010

As distâncias entre mim e você(s)

Parece que há um abismo em minhas relações às vezes. Noto uma falta de diálogo, um silêncio perturbador, que mata, mas contra o qual ninguém faz nada - nem eu mesmo.
Aquela coisa de "algo não está bem", mas "não vou mexer nisso". Pra que resolver algo que não está bom? Não está bom, algo me incomoda, mas tudo bem... Melhor deixar assim. Dialogar dá trabalho, me expõe e pode me indispor também...
Algumas mudanças de hábito implicam em mudanças não apenas na minha vida, mas podem refletir nas minhas relações. Aí é que a coisa pega: como assim você mudou comigo? Por que não mais isso, não mais aquilo? Por quê? A questão é que nem sempre esse questionamento ocorre de fato, fica tudo talvez insinuado, talvez subentendido. Há, na verdade, uma ideia de abandono, de pouco caso; mas não se trata disso, trata-se de uma mudança de comportamentos meus. Todo o amor que sempre houve continua existindo. Há tantos momentos para recordar, tantos abraços compartilhados, enfim...
Dizer que eu sumi é fácil, mas só eu sumi? Eu continuo com o mesmo número de telefone, moro na mesma casa, tenho o mesmo e-mail e o mesmo MSN. Sem essa!
Às vezes eu me perco em mim mesmo, tamanho é o emaranhado de pensamentos, de confusões e de tentativas de soluções que tenho na cabeça. Mas é tanta coisa que não sei o que fazer com tudo isso na maioria das vezes.
Eu quero estar aqui, ou ali, ou aí, ou quero não estar em lugar algum. Eu posso querer ou não querer isso ou aquilo. É a minha vontade. E isso não diminui em nada os sentimentos que trago dentro de mim. Em nada, repito!
Algumas mudanças ocorrem naturalmente me nossa vida. Outras, nos são impostas por N motivos. Outras, ainda, são exigidas para nossa sobrevivência. É uma questão pragmática: contextual (pessoas, lugares, momentos, intenções).
Acabo por aqui hoje, tendo me expressado como já deveria ter feito antes.

Um comentário:

  1. O silêncio e as pausas no dialogo p mim são agressões....Como vc sempre quero me fazer entender e compreender o outro...Mas quase não há possiblidades. O problema é sempre a falta de coragem de admitir o q se quer. Seria mais belo e honesto, não? sofremos por sermos transparente em nossos desejos...aiaiaia O q fazer? Saudade do seu blog.

    ResponderExcluir

Páginas