sábado, 15 de janeiro de 2011

Eu não quero voltar sozinho

Eu não quero voltar sozinho é um curta-metragem de Daniel Ribeiro. Rodado em 2010, o curta mostra a mudança na vida de um adolescente cego, Leonardo, após a chegada de um novo aluno, Gabriel, em sua escola. A mudança ocorre porque ele tem que lidar com um novo sentimento - a paixão -, e com o ciúme de Giovana, sua amiga e sempre companheira.
O filme é de uma sensibilidade grande, pois envolve a adolescência, homossexualidade, deficiência visual, tudo ao mesmo tempo. Não é nenhum dramalhão, é algo bem light, mas transmite uma esperança de vitória em meio a tantos preconceitos e dificuldades que a vida pode nos apresentar. O preconceito tem, em si mesmo, toda uma dificuldade, uma segregação, um ambiente hostil por ele proporcionado, mas como o curta é uma ficção, às vezes tudo são flores...
O amor na adolescência é tão lindo, é uma paixão louca, intensa. Depois da adolescência o amor intenso ainda existe, claro, mas nessa fase de descobertas há um ineditismo em experimentar sentimentos, há uma vontade de se encontrar em outra pessoa, de ir e de não querer voltar sozinho...
Na falta da visão, ainda temos o olfato. Na falta da visão, ainda temos o tato. Na falta de algum sentido, ainda há um sentimento para ser vivido... No fim, um olho que não enxerga, mas um olhar apaixonado, vivo e cheio de esperança.



Eu não quero voltar sozinho

video

> informações e ficha técnica: http://www.lacunafilmes.com.br/sozinho/docs/Info-EuNaoQueroVoltarSozinho.pdf 

4 comentários:

  1. Q lindo o curta. Amei o seu texto tb. Que amizade linda dos 3. Quanto cuidado/carinho/amor.
    Adolescencia é uma fase bela de decobertas; e o amor talvez seja a mais significativa.
    Adorei a cena qdo Leo cheira a blusa de Gabriel tão platonico...como eu. rs A cumplicidade de Leo com a amiga tb é comovente.
    A descobreta do amor pelos meninos é tocante. O ciúmes da amiga. Todos os sentimentos q nos permeia durante a vida. Amor não tem orientação sexual. Amor é...
    Tb gosto da intensidade do amor...sem ela não teria graça estar apaixonada p mim. Serei eterna adolescente? rs
    Amei a forma como ele se declara...Falando sem parar no quarto achando q tá falando com a amiga e é o Gabriel...ai o beijo e o amor. Lindo.
    Obrigada pela indicação do curta. E parabéns pelo texto.
    beijos, meu amigo!
    Te amo

    ResponderExcluir
  2. Putz, que lindo! Gostei por ter lembrado de mim. Acho que não somente como professores, mas sim como seres humanos, temos o dever de assistir esse curta. Do mais, amo curtas. Sou praticamente sócio do Portal dos Curtas. Hhehehehe. Muitas saudades! Abração

    ResponderExcluir
  3. Adorei! Sempre que souber de algo bom assim, por favor, envie pra mim.
    Bjs.
    Berna.

    ResponderExcluir
  4. Na minha opinião eu achei lindo este romance usando adolescentes, porque a maioria das pessoas dizem que os homossexuais são pessoas sem vergonha na cara e como podem justificar isso em crianças ?

    O amor não tem raça, cor, interesses e nem sexo, ele simplesmente acontece sem dar satisfação.

    De repente você sai sem interesses e quando vê já estão namorando... O amor não tem hora pra acontecer, e nem pessoas especificas. Ninguém escolhe que amar.

    ResponderExcluir

Páginas