sábado, 5 de novembro de 2011

Triste dor da saudade


Existe uma dor, triste dor, entristecida dor. Transformada em tudo que eu posso querer sentir, em tudo que eu sinto querer para amanhã. É a dor que sinto agora, que senti antes, ela se conjuga em todos os tempos do verbo sentir. Sentirei eternamente. Sentira antes de perceber. Sentiria pouco, não houvesse tanto coração em mim.
Uma dor que sente saudade, que cintila saudade, que brilha um olhar que não brilha mais. Relembra, um reflexo. Sintonia com uma antena que não pega mais na mesma frequência que a minha. Perde-se de si, de mim...
Recebi uma poesia, uma cartinha, que releio, receio não ter mais chance. De ouvir aquela voz me dizendo, me contando, me suplicando uma palavra. Só resta a carta de lembrança, da andança, da mudança. Mudou-se para o além, além do que posso saber onde fica. Se ficar.
Eu imaginava que viveria pra sempre comigo, não que partisse tão cedo. Eu sonhava uma verdade tão real que nunca se acabaria, que acordar do sonho e viver a vida de verdade foi de dor, daquela dor que eu já disse sentir em todos os tempos. Sentir. Ou sonhar. O que vivi foi a realidade, faltou a durabilidade. Assim, com tanto jeito de substantivo, com tanta pompa de que vai durar. Não durou.
O resto que fica é a lembrança que sobra. Não pouca, mas perco a dimensão de onde ela se encaixa agora. Na lembrança, na memória, fica só na história. Mas não sobra porque está a mais. Antes, porque está solta, sozinha, só na cabeça da saudade. Ou a saudade se sente no peito? De que jeito?
Bateu a saudade, mas a saudade não bate. Só o coração que bate, pra existir a saudade, de quem não está mais aqui. A saudade não bate, mas doi, porque você se lembra, mas ninguém acalenta esse coração que sofre com a falta que a saudade traz.
Restaria alguma luz pra eu fazer brilhar você de volta e parar essa afobação toda de ter que escrever pra me aliviar? Uma luz tão forte que seque minhas lágrimas, que me faça parar de chorar feito criança?

PS: Quase um ano sem um grande amigo que se foi pra longe, onde não posso encontrá-lo agora...

Um comentário:

  1. Hoje senti uma saudade absurda, do melhor amigo que já tive nessa vida! E procurando sentido, significado ... para o que estou sentindo agora, encontrei seu texto! E acredite, além de me emocionar traduziu em palavras exatamente a dor que estou sentindo! ... Parabéns pelo seu belo texto!!!

    ResponderExcluir

Páginas