quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Minhas amarras

Nada se resolve. O abandono me persegue. Sou prisioneiro de mim mesmo, das minhas necessidades, da minhas carências, das minhas vontades. Queria poder ser livre, ser solto, mas insisto em querer me prender. Insisto que preciso de amarras. E as procuro. E as espero. Mas não as encontro. O que fazer, então? Essas ideias só batem na minha cabeça, só ecoam dentro de mim. Às vezes menos, às vezes mais. Às vezes até me dói a alma. Mas não tem remédio pra dor da alma, tem?

2 comentários:

  1. Liberte-se! Vc é uma das pessoas mais interessantes e brilhantes que conheço.
    Tire as amarras e brilhe...Te amo, meu amigo!

    ResponderExcluir
  2. O remédio pra dor da alma é: poxa, me esqueci logo agora.
    Bom, o importante é não precisar de remédio pra se libertar, moço translater, porque de fato, ninguém é livre,mas vai ver vc é do tipo q gosta da dor... sadomazoquista da alma... saca?

    ResponderExcluir

Páginas