quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Adoraria morrer de beijar...

Com um sorriso lindo, eu diria que você é angelical. Mas diria isso enquanto não o visse despido de sua auréola. O anjo fica com a roupa. Sem ela, impera o fogo sensual que se mostra na ardência de tantos beijos, nas marcas de tantas mordidas e nos gemidos quando suspira. Sentir essa língua passeando pela minha pele, pelo meu corpo, é quase como gozar de prazer. A dor de ter os cabelos puxados não é nada ruim perto da sensação de ter meu corpo possuído pelo seu: eu apenas recebo as ordens da sua libido, que se junta à minha! Seus dentes arranhando minha nuca é um sinal: devo contorcer-me pra você saber que eu estou entregue. Se com os dentes faz meu corpo agir assim, a alma não age diferente: meu pensamento está ali, desligado do mundo e ligado naquele momento. A meia-luz cria um clima sensual, de vontades carnais. Seu perfume marca o encontro, o modo como vou te reconhecer quando estiver se aproximando... Beijos incansáveis, que tiram o fôlego, mas que devem ser logo retomados, porque a distância das nossas línguas não deve durar mais do que uma tomada de ar - mais tempo que isso não posso sobreviver! Melhor que isso seria você sugar de mim todo meu ar, assim não precisaria se distanciar. Adoraria morrer de beijar... Adoraria morrer de beijar...

Um comentário:

  1. Eu tb queria morrer de beijar. Eita intensidade que acaba com a gente, mas por outro lado sem ela nossa vida seria puro tedio. Q dialética. hehehe
    Teu texto está maravilhoso, doce, sensucal na medida certa.
    Te adoro

    ResponderExcluir

Páginas