domingo, 19 de junho de 2011

Pelo menos...

E o meu coração? Nem sei mais dele, viu. Mas ainda bate... Pelo menos parece. Acho que sim, se não, não estaria dizendo isso, né?! Sem sangue quente nas veias, nas artérias, correndo pelo corpo, o que somos todos? Nada, a não ser um monte de carne sem vida, abatida... Ok, meu coração ainda bate. Meus olhos ainda veem. Estou tendo uma visão. Estou vendo mesmo? Acho que alucino. Vejo meu celular com as luzes acesas, como se alguém me ligasse. Olho de novo, de perto. Era uma errada impressão que tive. Uma visão do futuro? Alguém vai me ligar? Ou uma memória apenas? Não toca mais esse aparelho, e talvez não deva tocar logo. Então deve ter sido uma memória mesmo, já que ele já tocou várias vezes... Nossa, meu coração é como meu celular? Não, porque meu coração ainda bate, biologicamente bate... Meu celular não tem veias... Vi as luzes novamente. Outra visão. Memória, melhor dizer. Ou seria uma vontade? Vontade de receber uma ligação. Mas e o meu coração nisso tudo? Ah... Já que ele 'pelo menos' bate, que meu celular pelo menos toque! Afff... Que triste isso. Será que 'pelo menos' estar vivo é algo bom? Não quero viver com tão pouco... Quero meu coração bombeando amor por todo meu corpo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Páginas