domingo, 8 de setembro de 2013

Restos de luz

Queria fazer uma poesia, mas não encontro uma rima bonita, ou uma palavra que traduza o que quero dizer. Queria escrever um texto poético, sobre amor, sobre dor, sobre paz, falar da natureza, do sol, da nuvem, mas não consigo dizer nada. A manhã nublada tapou minha visão da alma, atrapalhou meu discernimento da linha do caderno, do teclado. Uma folha em branco, uma página sem digitar. O cursor pisca, pisca, pisca, e o sol não brilha. O dia se ilumina com o que sobrou da última lua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Páginas